Os vivos sempre aparecem

Eu abandonei este blog quando voltei dos Estados Unidos. Cheguei no Brasil dia 06 de agosto de 2009 e não quis voltar nem para contar como estava. Os motivos, basicamente, foram dois: como criei o blog exclusivamente para contar minha vida como au pair, não havia sentido continuar com ele quando o intercâmbio acabou e, além disso, eu não divulgava esse blog, ele era apenas para família e amigos. O outro é que fiquei um tanto depressiva ao voltar e não queria falar sobre isso.

Este blog, no começo, foi hospedado no Spaces do Windows Live Messenger (na época, eu não tinha paciência para criar um blog de verdade) e depois que eu já havia parado de escrever há algum tempo, o próprio WLM solicitou que o conteúdo fosse transferido para o wordpress. Portanto, todas as visitas registradas aqui foram feitas quando eu não era mais Au Pair.

Considero o conteúdo interessante e, algumas vezes, engraçado. Mas não gosto da forma.
Vou reformular o blog (trocar template e deixá-lo mais atraente) e revisar meus posts (na época, eu escrevia de qualquer jeito, com abreviações e sem revisar antes de postar!) para deixá-los mais compreensíveis.

Apesar de eu já ter voltado dos EUA há quase 2 anos e meio, eu estou aberta a perguntas. Se você chegou aqui por acaso, procurando informações pelo Google, e tem alguma dúvida, pode deixar um comentário neste post e futuramente eu respondo todas as dúvidas, ok?

Um beijo.

Hey…

Vamos ao resumo do meu último mês nessa vida de Au Pair…

Dia 4 de julho foi o Dia da Independência. Eu achei que teria mil opções de atividades, mas me enganei… pelo o que a gente vê na TV, eles levam essa data muito a sério, mas aqui em Denver não teve nenhuma grande Parada de Independência. No final, acabei assistindo aos fogos de 4 de julho no dia 3 [eh, povo estranho] e dia 4 fui numa celebração da  Independência à moda antiga. Em um parque aqui próximo recriaram o clima que os EUA viviam na época e foi até que bem bacana,  culturalmente falando.

Finalmente consegui ir ao Jardim Botânico de Denver. Bonitinho, mas sem graça… ahauhaua…

Num fim de semana desses fui no Mount Evans, uma montanha a mais de 4 km acima do nível do mar. Denver ja é “alta”, tem 1,6 km de altitude, mas essa montanha me deixou até sem ar, zonza… Eu gostei, paramos num lago, o Summit Lake, e a paisagem era linda. Do alto da montanha não se via muita coisa por causa da neblina. Aliás, na volta começou a chover, a neblina se intensificou e até granizo caiu. E o medo pra descer a estrada nesse clima?

Fora que quando a gente saiu de Denver, a temperatura estava por volta de 25 graus. Quando chegamos lá em cima, estava 10 graus! E sabe o que é pior [ou melhor]? Nós fomos de short e camiseta e levamos um moleton “normal” porque sabíamos que lá estaria mais fresco [mas não frio!]. E mesmo com roupa “pouco adequada” para a temperatura, a gente não estava morrendo de frio nem nada… será que depois de enfrentar aqueles -27 graus minha resistência mudou?!

Numa sexta-feira, minha hosftfamily organizou meu jantar de despedida. Foi bacana, a comida estava muito boa também.

Lembra que falei que iria viajar?! No fim, não fui. Eh, fica pra próxima. Motivo? Deixa isso pra lá…

Também fui várias vezes, como de costume, ao Elitch Gardens… vou ser a única pessoa bronzeada no inverno de SP… ahuahaua…

E agora em agosto teve a festa de despedida da Aline, uma pair que ta indo embora na mesma semana que eu.

E neste último final de semana fomos conhecer o Red Rocks Amphitheatre, um anfiteatro a céu aberto com uma acústica perfeita. É muito famoso por aqui. Inclusive os Beatles já tocaram lá.

E também fomos conhecer Boulder e saber por que todo mundo quer ir pra lá [ok, isso foi piada interna, sorry!].

Agora, na contagem regressiva e essa semana já to no Brasil. Nem sei se a ficha ja caiu!

The very best of Aviva

Hi there!

Eu já devo ter falado da Aviva aqui. A menina é um “fenômeno” [como diria a Bruna] pra idade dela. Ela é muito esperta e tem umas tiradas muito boas!
E aí vão algumas das “pérolas” dela:

Estavam a Aviva e amiguinha Talia brincando em casa. Pediram iogurte, dei um que vem num tubinho. A Aviva
pegou o de morango e a Talia o de blueberry [não tem ou não conheço a tradução]. De repente, elas começaram
a discutir [não brigar, discutir mesmo] pq na embalagem do de blueberry não tinha sei la eu o que que tinha no de morango.

A Talia ficou muito chateada, e a Aviva começou a consola-la. Pareciam duas adolescentes conversando, como se a Talia tivesse perdido o namorado.
Aviva: Talia, esquece isso.
Talia: Nao, Aviva, não da! Eu nunca vou esquecer isso!
Ate ai, tudo “normal”, ate que a Aviva me chama com a cara mais seria do mundo e diz:
– Bia, fala pra Talia o que e’ a vida real…
E eu com aquela cara de “vc tem mesmo só 4 anos?”


—————–

Um dia a Aviva começou a filosofar sobre morte:
– Vc sabe, Bia… quanto mais velho vc e’, mais perto da morte vc fica.
– Do que vc ta falando?
– Isso mesmo. Eu to ficando vela, isso significa que eu to chegando perto da morte. O Sammy não esta tão perto disso como eu to. Eu vou morrer primeiro.
– Nao fala isso..
– E’ verdade. Isso e’ a vida real!

Uma menina de 4 anos me ensinando os “mistérios da vida”… ou da morte…


—————–

Um dia a Aviva colocou uns adesivos em mim [ela tem essa mania] e queria que todo mundo visse como eu tinha ficado “bonita” cheia de adesivos. Ai, logo de manha, quis que eu eu fosse no quarto dos pais pra eu mostrar. Eu fui, tava minha host la, ela me viu e fez aqueles elogios so pra menina ficar feliz. O pai tava no banho e ela queria que eu fosse la. Eu disse
que nao podia entrar e que depois mostrava e ela comecou a insistir.
Ai, minha host foi explicar que eu nao podia mesmo entrar no banheiro.

La vem ela e solta:
– Mas a Bia nao eh parte da familia? Ela pode sim entrar no banheiro!
– Nao, seu pai esta sem roupa, ela nao pode entrar.
– Mas ela eh parte da familia, nao tem problema.
– Sim a Aviva, mas nesse caso, ela nao eh parte da familia.

————–

Estava ela me ajudando a escolher roupa pra ir num jantar. Ai, peguei meu sutia e ia comecar a me trocar.
– Bia, seu sutia eh lindo!
– Vc acha?

Sim! [super empolgada agora] Ele eh muito lindo, muito chique, super
elegante. Minha mae tem um assim e eu adoro! Vc tem que usar ele, eh
maravilhoso!

– Ta, Aviva, mas ninguem vai ver meu sutia, anyway.
Agora imagina a menina com a maior cara de decepcao do mundo:
-Ah…


————-

Estava fazendo uns quebra-cabecas com a Aviva e ela quis ir oa banheiro. O pai dela estava la e disse pra ela usar o banheiro em cima, mas ela quis esperar.
O pai saiu, ela entrou.
Ela voltou pra sala, onde o pai dela também estava, e voltamos a montar o quebra-cabeca. Ai, ela olha pra mim com cara de “vc nem sabe” e comeca a cochichar:
– Eu tive que segurar meu nariz o tempo todo esquanto estava no banheiro. Meu pai fez coco la, tava fedendo.
– Ok, Aviva. [Nao ia ficar puxando assunto].
– E’ verdade, tava fedendo muito…
– Acho que vc nao deveria ficar me dizendo essas coisas. Vamos nos concentrar no quebra-cabeca…

Mas eu me segurei de rir, pq ela fazia uma cara tao de “vc e’ minha cúmplice”… ahahahaha… foi bem engraçadinho.


————

Um ia desses, antes de sair de casa pra jantar na casa dos amigos do host, a Aviva tava junto comigo enquanto eu trocava de roupa.

Eu não ia me arrumar toda pra comer na casa de quem nem conheco… peguei minha calca jeans e a Aviva quis escolher meu sapato.
-Ai, vc tem que pegar algo elegante!
-Nao precisa, Aviva.
-Pega esse sapato aqui. [salto alto]
-Nao preciso de algo tao elegante assim.
-Pega esse aqui, entao. [sapatilha prateada com lacinho]
-Nao, nao precisa de tanto.
-Entao, usa esse. [outro salto alto]
-Vou por esse tenis mesmo e esta bom…
Me olhou com a maior cara de decepcao:
-Ai, mas vc nunca se veste com coisa elegante, viu!!!

Me chamou de mal vestida na cara!!!

—————

Minha host tava falando para a Aviva que elas iriam ao cabeleleiro e perguntou se ela ja havia decidido o quanto queria cortar.
Aviva:
– Eu quero meu cabelo todo colorido. Quero pintar de rosa, roxo e arco-iris!
Host:
– Nao to falando de pintar, vc vai cortar o cabelo!
– Mas eu quero pintar meu cabelo!
– Vc ja viu gente com o cabelo assim?!
– Sim, ja vi gente com o cabelo colorido e eu acho legal!
– Entao vc nao quer cortar o cabelo, vc quer ser uma palhaca!
– Naaaaaaaaaaao!
– E palhacos nao cortam o cabelo, eles vao pro circo!

————

Outro dia a Aviva entrou no meu quarto… eu ia me trocar de roupa, entrei no banheiro e pedi pra ela me esperar. Quando volto, ela tinha tirado tooooodos os meus sapatos do closet:
– Bia, separei todos os seus sapatos, olha!
– Separou como, Aviva?
– Separei entre os elegantes e os feios!

————

Eu tenho ido bastante ao parque aquatico daqui pra me bronzear e ja to bem queimada…
Um dia, ela vira pra mim e diz:
– Bia, vc vai virar uma vassoura!
Eu nao entendi o porque da comparacao… nao sou tao magrela assim e meu cabelo nem e’ ruim… ahuahua…
– Vassoura??? Mas por que, Aviva?
– Porque vc ta cada dia mais escura, vai ficar marrom igual uma vassoura!

———-






Um ano…

E la se vao 365 dias longe de casa!

Agora vem um sentimento estranho. Vontade de ir e ficar. Tristeza e Alegria. Saudade de quem nao vi nesse um ano, mas ja sinto saudade antecipada por aqueles que nao sei se vou ver de novo…

Ansiedade…

To ansiosa! E muito!
Alguem tem alguma dica pra lidar com isso?! Se nao eu enlouqueco!

Three weeks!

Ja to na contagem regressiva faz tempo! Daqui 3 semanas desembarco em terras tupiniquins!

Maaaas… ainda tenho 1,5 semana de au pair e uma viagem a frente. Daqui 2 semanas estou indo conhecer Washington DC e Chicago, Il… a viagem "saideira".

Resumao…

Hi there!
Esse provavelmente sera’ meu penultimo post antes de voltar pro Brasil. E’, a volta est’a proxima, dia 6 de agosto eu chego! =)
Vou fazer um resumao do que aconteceu desde a ultima vez que postei decentemente aqui.

Pra comecar, eu fui numa aula de salsa. Justo a Bia, ne? Eh bacana, mas eu realmente nao levo jeito pra danca. Cadum cadum, ne?!
Fui me meter a ir num jogo de baseball… gente, se existe coisa mais
boring que isso, alguem me avise, por favor. Jogo de baseball e’ o
supra-sumo do tedio. Dura umas 3h, nao e’ nada dinamico… E’ claro que
a gente mais bateu papo do que assistiu jogo… Mas obviamente valeu
pela experiencia, ja que jogo de baseball e’ algo que toda au pair tem
que ver, so pra falar que viu e detestou. ha.

Eu nunca fui no Jardim Botanico de Sao Paulo, mas queria ir no de
Denver. Lei de Murphy, amiga, quis ir tambem. Chegamos la, uns 20
minutos depois comecou a cair o mundo. Nao vi nada. Preciso voltar la.

Ha cerca de 1h30 de Denver tem uma cidade chamada Colorado Springs. La
tem um parque chamado The Garden of the Gods. Sao basicamente pedras
avermelhadas que "brotam do chao". Quando eu vi fotos, achei lindo!
Quando cheguei la, achei nada mais alem de normal. Gente, eu preciso
parar com essa mania de me decepcionar com as coisas. ha. Mas apesar de
tudo, foi bem legal, porque nos resolvemos fazer um pic nic brasileiro,
entao levamos bolo de cenoura, pao-de-queijo, cocada, brigadeira…
nham nham…

Fui assistir a um outro musical, o RENT. Bem legal, recomendo.

E no fim de junho, eu fui fazer rafting. Rafting, sabe? Descer um rio bravo de bote???
Eu poderia escrever um post apenas sobre isso, mas como ja contei essa
historia um zilhao de vezes, eu vou fazer um rapido resumo.
Murphy tambem quis ir fazer rafting comigo, e meu bote foi o unico do grupo a virar.
Primeiro, bateu numa pedra e nessa, 3 de 7 meninas ja sairam voando e
cairam no rio. Eu consegui me segurar e fiquei. Quando fomos tentar
colocar o bote de volta no rio, ele virou em cima da gente. Afundei no
rio, passei por debaixo do bote, e quando botei a cabeca pra fora da
agua, ja vi o guia [que nao sei dizer se nao caiu na agua ou se ele eh
muito ninja e conseguiu pular em cima do bote, que estava de cabeca pra
baixo] e ja dei minha mae pra ele me puxar pra fora da agua. Nessa,
mais uma menina foi sendo levada pra correnteza.
Situacao: 2 meninas e o instrutors em ciam do bote virado e uma dentro
da agua, segurando no bote. Um dos guias dos outros barcos jogou uma
corda pra gente para nos puxar para a margem. O guia agarrou a corda,
perdeu o equilibrio e caiu na agua. Agora imagina o bote descendo o rio
de cabeca pra baixo, eu e uma menina desesperada em cima dele e a outra
ainda dentro da agua, agarrada no bote.
No fim das contas, o bote encalhou na margem, a gente desceu. As
meninas que cairam na agua foram resgatadas. Uma passou mal, outras
estavam em estado de choque… Ai, vem a pergunta "Voces querem
continuar o rafting?". Das 7, apenas 2 toparam. Adivinha quem? As
unicas brasileiras do bote, Bruna e eu. Porque vcs sabem, ne…
Brasileiro nao desiste nunca.
Terminamos o rafting e depois do susto [sim, foi um baita susto… eu
ja contei que nao sei nadar? entao…], no fim das contas, foi uma boa
aventura. Faria novamente.

Fora isso, como comprei o season pass do Elitch gardens, o parque de
diversoes que tambem tem um parque aquatico, to indo sempre la pegar um
sol. Alias, acho que devo estar exagerando, pq ta todo mundo dizendo
[ou reclamando?] que eu to muito queimada. Gente, pior que eu nem acho!
ahahaha

Tem mais uma coisitas pra contar, entao depois eu volto.

See ya.

Entradas Mais Antigas Anteriores