E’ hoje!

Sim, eh hoje!
Finalmente estou indo para a Europa! Meu roteiro inclui Inglaterra, Franca e Italia!
Vai ser quase um mochilao e vou tentar aproveitar tudo ao maximo!

Essa semana ja passei mal de ansiedade [justo eu, que nunca fico ansiosa! mas desse vez merece]. Agora estou nervosa, com aquela sensacao de "eu to mesmo indo pra Europa?". Acho que quando eu vim para os EUA foi mais ou menos assim…

Entao, quando voltar da viagem, conto como foi!

Ah, meus dias desde o ultimo post nao tem sido animados. Fazendo programas baratos para economizar pra viagem [patinar no gelo, jogar conversa fora em downtown, etc]. A excecao foi o jogo de basquete. Fomos assistir o ultimo jogo antes das playoffs e o Denver Nuggets ganhou! Ah, tem um jogados brasileiro no time, o Nene. O jogo foi bem bacana!
Acho que vou ficar devendo como foi meu Passover aqui! Fica pra um proximo post.

A ultima novidade eh que terminei meu curso de cultura americana. Agora estou livre, ja consegui todos os meus creditos pro progama de Au Pair!

E’ isso ai, pessoal!

Anúncios

Hora do jantar

– Aviva, a mamae vai viajar essa semana e depois a Bia tambem vai!
– NAAAAAAAO!
– Voce nao quer que a gente viaje?
– NAAAAAAAAO! A Bia nao pode viajar!
– Sao minhas ferias, Aviva! Preciso descansar…
– E’ que eu te amo tanto que nao quero deixar voce ir!
Todos:
-Oohhhhhhhhhhhhhh!!!

Ah, se fosse assim todo dia!

I went ski!

Hey!
 
Vou contar como foi meu dia de ski.
 
Tudo comecou no sabado, quando subimos as montanhas [engracado, ne, em Sao Paulo a gente sempre desce a serra pra ir pra praia, mas como aqui obviamente nao tenha praia, todo mundo sobe para as montanhas! Cada um com o que Deus lhe deu! hehe].
A gente chegou no hotel e ja se arrumou pra ir jantar na casa de uns amigos dos hosts. Ja estive em casas de praia, mas em casa de montanha foi a primeira vez. Era uma super casa toda decorada com peles, chifres e tal, so faltou o tapete de pele de urso no chao. Me senti um peixinho fora d’agua como sempre me sinto nessas situacoes [afinal, eu nao conheco ninguem, nunca tem ninguem da minha e sempre ouco aquelas mesmas perguntas: "ha quanto tempo vc esta aqui?", "vc ta gostando?", "quais sao as diferencas entre aqui e o seu pais"]. Mas a janta estava boa, pelo menos.
 
No dia seguinte, tomamos cafe e la fomos para a estacao de ski [na verdade, era so atravessar a rua]. Vesti toda aquela roupa pra neve, aquelas botas que me faziam andar como se eu estivesse na Lua, botei capacete e oculos, peguei meus skis e fui pra aula.
Na parte da manha eu so paguei mico… nao conseguia parar e levei varios tombos. E sabe como eh cair numa colina na neve: vc cai e continua escorregando… Fora que eu as vezes nao conseguia parar nem no plano, e continuava escorregando… Mas a tarde, eu descobri o segredo pra parar e ai foi maravilha! Descendo as montanhas no maior pique! Ate peguei aqueles banquinhos que a gente ve em filme, que levam a gente ate o topo da montanha! Para resumir, a sensacao de estar descendo uma montanha tendo nocao do que vc esta fazendo eh otima!
Detalhe: Quando se cai, nao da para levantar com os dois skis no pe, tem que tirar um deles para apoiar o pe no chao e ai se levantar. Sabendo disso, imaginem que em um dos meus tombos, eu cai de brucos e pernar abertas. Nao conseguia levantar a perna, por causa do peso do ski, mas tambem nao conseguia alcancar meu pe com a mao. Conclusao: fiquei la esparramada nessa posicao ridicula, ate que alguem viesse me ajudar a me levantar.
E claro, na minha ultima descida, eu tive que trombar com um homem que tava parado… cai no chao e ele ainda foi bonzinho e me ajudou a levantar.
 
Depois da aula eu estava mais que cansada, voltei pro hotel, tomei banho, jantei e dormi. No outro dia, bracos e ombros doiam.
 
Well, a neve continuou caindo essa semana aqui no Colorado. Estragou alguns planos meus, mas deixa isso pra la.
 
Voltando a vida real depois do ski, sabado eu finalmente fui ao Denver Art Museum. Yay! Nao querendo esnobar, mas depois que fui aos museus de NY, achei o de Denver meio xoxo. O museu eh lindo, super moderno e tal, mas… gostei mais dos de NY!
E no fim de semana ainda, eu assisti aquele filme, o I Love you, man [acho que em portugues eh Te amo, cara ou algo assim]. Putz, que filme engracado! Adorei… fora que o Paul Rudd is so handsome!
 
Acho que eh so, nao faz muito tempo que escrevi aqui… continuo minha vida de au poor, rumo aos 9 meses, o que significa que talvez esteja voltando em pouco mais de 3 meses.
Estou planejando minha viagem para a Europa. Adoro viajar, mas detesto planejar viagem… nossa, tenho preguica, eh chato. Pelo menos esta tudo comprado e reservado, a discussao agora eh "onde vou e quando?".
 
Fatos interessantes [ou nao]:
– Nao eh novidade que moro com uma familia judia e que tive que me adaptar a alguns costumes deles. Mas agora vou ter que fazer das tripas coracao para passar a proxima semana. Hoje comeca o Passover [nao lembro como eh em portugues ou nao sei mesmo], que nada mais eh a celebracao da pascoa judia. Eles fizeram a limpa na despensa! Nao pode comer pao, macarrao ou qualquer coisa que va farinha. Nao pode comer grao [la se foi meu arroz!]. Nao pode comer isso, nao pode comer aquilo. Tem coisa que pode comer, mas tem que ser especifico pra ocasiao, tipo, tem que ter um selinho dizendo que pode comer no Passover. Ta cheio de produto exportado de Israel aqui.  Ate meu inocente po de chocolate teve que ser substituido por um que eh meio amargo! E compraram um monte de matzo, um pao sem fermento que mais parece bolacha de agua e sal. Sera que vou sobreviver?!
– Falando deles ainda, ha um mes teve outro feriado, o Purim. Eles se fantasiam e fazem a maior festa. Eu fui la na sinagoga, ate que foi bacana. O Purim eh o feriado que eles comemoram a historia de Ester e tal.
– Mudando de assunto, eu acho que tenho insonia.
– Nao era pra contar, mas eu acho que eh engracado. Ha uns dois meses, a Bruna e eu resolvemos fazer pudim. A gente fez a calda e jogou o pudim em cima e colocou em banho-maria. Detalhe eh que a gente nao sabia que era pra assar em banho-maria, nao cozinhar. Obviamente, o pudim nao endureceu depois de horas no fogo. A gente achou estranho e ficou se perguntando por que aquilo tinha acontecido, achou que fosse por que nao usamos forma redonda com furo [aqui nao tem, eu nunca vi, pelo menos!], enfim, mil possibilidades. Ai, neste ultimo final de semana, resolvemos fazer de novo. Ai, desta vez, lendo a receita direito, a gente descobriu o misterio… morremos de rir e dessa vez deu tudo certo.
– Minha professora do curso do TOEFL disse que se perde cerca de 10% do vocabulario de uma lingua a cada ano que se fica sem pratica-la, mesmo que seja a lingua nativa. Eh verdade, eu esqueco um monte de coisa em portugues. Sem contar o tanto de coisa que aprendi aqui de ouvir e nao sei traduzir.
 
Ah, os americanos…
– Acham que crianca nao precisa tomar banho todo dia! Justo a crianca que pula, brinca, se suja…
– Aqui nao tem guarda-roupa! Todo quarto eh construido com closet.
– Ja contei como eh bom celular aqui? Ligacao de celular para celular em qualquer lugar do pais eh de graca depois das 9h da noite e aos finais de semana, a menos que seu celular seja pre-pago.
– Fazem umas coisas estranhas para dirigir. Tem o double-check. Quando vc vai mudar de faixa, por exemplo, eles acham eu nao eh suficiente olhar no retrovisor, vc tem que virar toda sua cabeca pra tras para ter certeza de que nao vai bater em ninguem.
 
That’s all!

Gafe da semana

Se engana quem acha que no meiao do nada, tambem conhecido como Colorado, nao tem brasileiro. Obviamente, em Boston e NY se acha muito mais, mas brasileiro ta em todo lugar por aqui.
 
Bruna e eu estavamos no onibus, quando eu reparo que o cara sentado no banco da frente esta usando uma jaqueta horrorosa dos personagens do Looney Tunes. Quer dizer, seria bonita se ele tivesse 7 anos.
– Bruna, se liga na jaqueta do cara ai da frente.
– Putz, que tosco.
– Como alguem consegue sair assim na rua?
 
E ficamos mais uns segundos discutindo o mal gosto do ser humano.
Quando nos levantamos para descer do onibus, eis que o mesmo vira para tras e nos diz um "tchau" em bom portugues.
 
 
A gente nao sabia se ria ou chorava.